Alunos e professores são premiados no “Concurso de Redação e Desenho Teresa de Benguela”

66
0

Em cerimônia realizada na manhã desta terça-feira (27/11) no Cineteatro Henfil,16 alunos e seus professores foram premiados pela participação no 1º Concurso de Redação e Desenho Teresa de Benguela, uma iniciativa da Coordenação de Políticas para as Mulheres da Secretaria de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher, em parceria com as secretarias de Cultura e Educação e com a União de Negros pela Igualdade (Unegros), com Movimento Negro Unificado (MNU), com o Coletivo de Mulheres Negras Luz Negra/Entre Olhares e Movidade. O evento reuniu uma série de apresentações e homenageou mulheres negras que desempenham um papel fundamental na transmissão da cultura afro-brasileira e na luta pela igualdade racial.

A coordenadora de Políticas para Mulheres, Luciana Piredda, explicou a proposta do concurso. “Nasceu do sonho em discutir a importância das mulheres negras na construção da nossa sociedade”, declarou a coordenadora, acrescentando que o evento é uma referência ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha e ao Dia Nacional da Mulher Negra – Teresa Benguela, sancionado pela então presidente Dilma Rousseff em 2014, (celebrado no dia 25 de julho). A atriz e cantora Zézé Motta, de 74 anos, com mais de 50 dedicados às artes, abriu o evento com a música “Senhora Liberdade”. A artista falou sobre o evento como ferramenta para formação dos alunos. “A escola é fundamental em todo esse processo de construção do ser humano e por isso considero necessária à aplicação da lei 10.639 que obriga o ensino da história e cultura africana e afro-brasileira nas instituições de ensino básico”, declarou.

A vencedora na modalidade redação categoria Educação Fundamental I, Monalisa Kathyn da Costa, de 11 anos, considerou a leitura, principalmente de poesia, como o fator que mais contribuiu para a conquista de seu primeiro prêmio na vida. Aluna da E. M. Amanda Pena de Azevedo Soares, Sthefany dos Santos, de 15 anos, vencedora na categoria Ensino Fundamental II, realizou a redação sobre Dandara, guerreira negra do período colonial do Brasil. “Pesquisei muito e ouvi relatos de pessoas vítimas de racismo. Não podemos aceitar que o preconceito ainda exista no país”, explicou a aluna.  A professora de Língua Portuguesa da aluna Sthefany, Maria Juliana Oba, ressaltou a importância desse prêmio para aumentar a autoestima da aluna e incentivar seu aprimoramento acadêmico. “Aluna da escola desde a Educação Infantil, ela é a melhor aluna da classe e não me surpreendeu com esse resultado”, destacou.

Maiara Melo, mãe de Miguel Melo, de seis anos, premiado em primeiro na modalidade desenho categoria educação infantil, estava muito orgulhosa pela conquista do filho. “Estou muito feliz porque é uma honra vê-lo, mesmo que ainda pequeno, já sendo reconhecido por seu talento. Sou suspeita, mas considero todos seus desenhos lindos”, orgulhou-se.

Dentre as apresentações, o público conferiu a apresentação do espetáculo “OMI – do leito ao mar”, do artista gonçalense Gabriel Mendes, que narra a trajetória da água por meio de lendas da mitologia ioruba, contadas por lavadeiras trabalhando à beira de um rio. Um dos atores, Kadu Monteiro, elogiou a iniciativa do evento.  “É muito bom estar aqui hoje presente nessa homenagem, ainda mais que essa será nossa última apresentação do ano”, frisou. Os vencedores do concurso receberam o troféu Lucimere Rodrigues de Mello para a modalidade redação e o troféu Di Bonilho para a categoria desenho.

Mulheres homenageadas

Izabel Oliveira

Jô Borges

Conceição Evaristo

Dilcimeres José da C. Pedro

Dona Benedita da Taboa

Claudenise Silva

Vera Luciano

Mãe Márcia d´Oxoguiã

Silvia Costa

Carol cantora

Linda Baobá

Dona Netinha

Adriana Ribeiro (Bina)

Aduni Benton

Jurema Werneck

(Prefeitura de Maricá)

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.