As únicas 5 mulheres (isso mesmo, só cinco) que pilotaram na F1

30
0
Pois é, a categoria também aceita pilotas. Mas pouquíssimas na história já botaram o capacete e dirigiram um carro de Fórmula 1.

Você sabia que a Formula 1 é uma disputa não apenas masculina, mas também feminina? Apenas 5 mulheres já foram inscritas como pilotas nessa categoria, e não é difícil de adivinhar o porquê.

CINCO mulheres, desde de 1950 quando foi criado o torneio, participaram da corrida, e apenas uma delas conseguiu pontuar.

● Maria Teresa de Filippis Teresa, mulher italiana, foi a primeira mulher a pilotar um carro de Formula 1, em 1958, e foi VICE CAMPEÃ do campeonato italiano e foi contratada pela Maserati.

Começou a correr aos 22 anos de idade por conta de uma aposta com seus irmãos, que não acreditavam que ela pudesse ser veloz, e se classificou para 3 corridas de da F1 ao longo de sua carreira sua melhor performance foi em sua segunda corrida na Bélgica, onde terminou em 10 º lugar.

No Grande Prémio de França de 1958 a piloto foi proibida de correr por SER MULHER. o diretor de provas, Toto Roche, foi à conferência de imprensa, mostrou uma grande fotografia da Maria Teresa e afirmou que:

“uma jovem tão bonita como aquela não deveria usar nenhum capacete a não ser o secador do cabeleireiro.” quando soube, Maria ficou furiosa e disse que se o visse pela frente o teria esmurrado. Parou de correr em 1959, e depois disso ainda foi vice presidente do Clube Internacional de Ex-Pilotos de Fórmula 1 e presidente do clube de Maserati. imagina o poder dessa mulher?!

● Lella Lombardi também italiana, correu pela primeira vez na F1 em 1974, e foi a primeira e única mulher a pontuar em uma disputa.

Começou sua carreira nos anos 60 dirigindo por turismo e comércio, e apenas em 1968 mudou para as corridas de circuito. Ficou em 1° lugar na Fórmula 875 Monza nesse mesmo ano e em 1970 terminou em 3° o campeonato italiano da Formula Ford. Em 1974, na F1 na Grã Bretanha, fez historia junto de Divina Galica, foi a primeira corrida onde duas mulheres disputaram. Lella ficou em 6° lugar e conseguiu meio ponto na disputa.

● Divina Galica Divina, além de ser uma das raras mulheres que correram na F1, tendo sido classificada duas vezes, é uma dos 7 pessoas que foram pilotos de Formula 1 e também competiram em Jogos Olímpicos, sendo a única mulher desta lista.

Aceitando um convite para uma corrida de automóveis com celebridades, Galica surpreendeu a todos com seu talento dirigindo. Ela finalmente assumiu automobilismo como uma segunda carreira, no kart, caminhões e até carros de Fórmula 1, até competir na grande disputa em 1976. Sua carreira inclui passagens pela Fórmula Renault, Fórmula Vauxhall Lotus e Fórmula 2.
● Desiré Wilson sul-africana, se tornou a única mulher a vencer uma corrida com um carro de Fórmula 1 quando venceu a etapa de Brands Hatch. Porém, tal corrida não valia pontos para o mundial e seu resultado não é homologado.
● Giovanna Amati também italiana, Giovanna foi a última mulher que foi classificada para correr na F1 apaixonada desde a infância por automobilismo, disputou a corrida em 1992, um dos relatos de Giovanna quando perguntada sobre como é ser uma mulher e correr na F1, é realmente muito triste assim como o discurso machista que impediu Maria de participar da corrida na França. Giovanna afirma que:

Bom, se você realmente acha, depois de tudo isso, que as mulheres tem as mesmas oportunidades e reconhecimento que os homens não só no mundo dos esportes, mas na sociedade em geral, pesquise mais.

“Ah, mas não da pra comparar as mulheres com os grandes nomes masculinos da F1” Eu te pergunto: quantas mulheres incríveis que poderiam ter batido milhares de recordes nunca passaram pelas pistas pela falta de incentivo ou pelo machismo? eu aposto que milhares!

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.